A magia de fazer pão


Fazer pão é algo verdadeiramente mágico. Partilhamos convosco um vídeo disponível na página de Facebook Tasty Presents.

Uma peça muito bem desenvolvida que faz da padaria um setor incrivelmente mágico e querido por todos.

Veja com atenção todos os passos de Gus Reckel (antigo bancário), Edan Leshnick e Jeremy Jan.

“Bread takes time and patience… and things sometimes go wrong.” O pão precisa de tempo e paciência… e, por vezes, as coisas correm mal…

Anúncios

Massa velha, massa mãe, “masa madre”…


Muitos têm-nos questionado o que é ao certo uma massa mãe, uma massa velha ou simplesmente a “masa madre”. A resposta é muito simples e decidimos transcrevê-la de um texto do blogue Mexipan – uma feira de panificação do México.

Texto original:

“La masa madre no es ninguna novedad en el universo de la panadería, sin embargo, se ha popularizado entre muchos panaderos jóvenes que buscan volver a la preparación tradicional del pan. Ahora bien, ¿qué es? Podríamos llamarlo un elemento vivo compuesto de un cultivo mixto de levaduras y bacterias alimentadas con algún tipo de harina integral o en palabras más sencillas; una mezcla de agua y harina sin ningún tipo de levadura industrial añadida.”

Link

A massa mãe é, simplesmente, água e farinha (sem qualquer tipo de fermento adicionado) que é deixada a repousar durante muitas horas, para que, posteriormente, seja adicionada a outras massas tornando-a mais rica, tradicional e única.

IBA: maior feira de padaria do mundo


iba.de

A maior feira do mundo da panificação arranca no próximo dia 15 de setembro em Munique (Alemanha), finalizando a 20.

Um certame que reúne os principais players mundiais da panificação, pastelaria e snacks. Ingredientes, máquinas de padaria e pastelaria, serviços para o setor, tendências, tudo num único espaço.

Aqui moram as receitas de padaria oriundas de todo o mundo.

Conheça mais da feira através  do site www.iba.de

Ficou com água na boca para visitar a IBA?

Nós também =)

O pão na rádio portuguesa


É do pão de quem se fala.

No setor, vivem-se tempos muito dinâmicos… abordagens mais competitivas (alicerçadas no preço e acessibilidade) ou mais diferenciadoras, novos conceitos florescem, uns mais virados para o turismo gastronómico e outros para o serviço onde a distribuição é trabalhada doutra forma.

De facto, o pão é um setor de bastante interesse, importância económica e, também, fundamental nas sociedades.

E, também por isto, o padeiro é uma peça fundamental na padaria.

Por muita inovação e por muitos facilitismos que existam, o padeiro continua a ser o principal ativo, que nunca deve ser esquecido e sobrevalorizado, nem por investidores e, muito menos, pelos consumidores. O consumidor é rei.

O programa Prova Oral da rádio portuguesa Antena 3, convidou Mário Rolando e debruçou-se sobre este tema.

Aqui está o link para quem queira ouvir.

Pão de Deus


6a273866877b4dde02aa4d7a49016ba1765047

Farinha de trigo 10Kg
Sal 150g
Melhorante (brioche) 500g
Fermento 600g
Água 6l
Margarina 1Kg
Leite em pó 2Kg
Ovos 30un.
Açúcar 1Kg
Açúcar em pó q.b.
Coco q.b.

PREPARAÇÃO

Coloque todos os ingredientes (à exceção do fermento) dentro da tina da Amassadeira
Espiral e deixe amassar durante 3 minutos em 1ª velocidade e cerca de 7
minutos em 2ª velocidade. Entre os 7 e 10 minutos do tempo total de amassadura adicione o fermento.

Depois de amassada, deixe repousar a massa entre 5 a 10 minutos em cima da mesa
de trabalho.
Faça empêlos de 1,6Kg de massa e divida em 30 unidades utilizando a Divisora
Semiautomática.

De seguida enrole manualmente as unidades de massa em formato de bola e
adicione açúcar e coco no topo. Coloque em tabuleiros e leva à Câmara de Fermentação durante 40 minutos.
Depois de fermentados polvilhe com açúcar em pó e, por último, leve ao forno entre
os 200 e 210 ºC durante 10 a 12 minutos.

Pratos comestíveis de farelo de trigo


Uma ideia que já vimos ser executada há alguns anos mas que tem vindo a ser trabalhada, recentemente, por uma empresa de Santarém.

A ideia merece ser valorizada e apoiada.

Leia a notícia aqui.

O setor de panificação brasileiro tem mãos portuguesas


Embora o artigo deste site tenhs alguns anos, demonstra e muito bem, a importância da comunidade portuguesa no setor de panificação brasileiro.

Os negócios vão passando de gerações em gerações, transformando-se e aperfeiçoando as suas atividades, à medida que o seu principal recurso também evolui: as pessoas.

A padaria está nas mãos e nos genes de quem a trabalha, de quem a faz crescer, seja em Portugal, no Brasil ou em qualquer outro ponto do mundo.

Clique aqui

Pão de centeio


INGREDIENTES

Farinha de centeio 10Kg
Farinha de trigo 5Kg
Água 9l
Fermento 400g
Sal 300g

PREPARAÇÃO
Junte as farinhas, o sal e a água dentro da tina da Amassadeira Espiral e deixe
amassar durante 3 minutos em 1ª velocidade e de 7 minutos em 2ª velocidade. Entre
os 7 e 10 minutos do tempo total de amassadura adicione o fermento.

Depois deixe repousar a massa durante 5 a 10 minutos.

Faça empelos de 1Kg, coloque-os em tabuleiros de lona e leve-os à câmara de
fermentação para levedar.

Retire o pão já levedado, efetue alguns cortes e leve ao forno elétrico durante 30
minutos a 220ºC

Receita de Massa Folhada


Farinha de trigo 10Kg
Sal 100g
Água 5l
Margarina folhada 7,5Kg

PREPARAÇÃO

Coloque a farinha, o sal e a água dentro da tina da Amassadeira Espiral e deixe
amassar durante 5 minutos em 1ª velocidade e 5 minutos em 2ª velocidade. Deixe
repousar entre 10 a 15 minutos.

De seguida, coloque a massa em cima das mesas do Laminador e estenda-a manualmente
até obter um retângulo. Coloque a margarina em metade da massa e
dobre-a em partes iguais.

Lamine a massa dando 3 voltas simples e 1 volta “em livro”. Depois de dada a última
volta, deixe repousar a massa folhada entre 10 a 15 minutos.

Lamine novamente a massa até que atinja, aproximadamente, 2 a 3mm de
espessura e corte em porções similares.
Leve a cozer a uma temperatura entre 220 e 230ºC no forno elétrico durante 30
minutos.Massa-Folhada

Embalagem que conversa o pão


Ao que parece é uma invenção de uma aluna portuguesa inconformada com a curta longevidade do pão, ou seja, o pão enduresse mais rapidamente que a oportunidade que a necessidade de o consumir.

Sem recurso a qualquer tipo de conservantes, a aluna da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica do Porto, criou uma embalagem cuja fórmula vai libertando uma substância que prolonga a vida do pão e impede a ocorrência de bolor durante 5 dias. Notável, não?

Fonte