Papa Francisco adora “pão português”…


Rosca de pão-de-ló encanta papa Francisco… Veja o vídeo: http://www.cmjornal.pt/multimedia/videos/detalhe/papa-francisco-encantado-com-rosca-de-pao-de-lo-de-famalicao
… E certamente nós também ficaríamos encantados com esta rosca 

Anúncios

Pão em casa… Já  conhecia?


De facto é um projeto bastante inovador.

Imagine acordar a um domingo de manha e já ter uma encomenda de pão e/ou pastelaria fresca agendada para entrega em sua casa?

É bem verdade que as típicas padarias de distribuição não são nenhuma novidade é que foram quem dominou o mercado de venda de pão há largos atràs.

Porém, as padarias de pão quente, com a mais valia que o próprio nome indica começaram a ganhar terreno à distribuição. Mas hoje, com uma roupagem que digamos mais moderna e adaptada aos novos tempos, atenta às tendências do mercado, hábitos e rotinas diárias, fazem revitalizar uma ideia de negócio que parecia funcionar apenas em algumas zonas mais rurais.

Já conhece o Pão em Casa?

https://paoemcasa.pt
Lisboa, Santarém, Évora, Coimbra, Viseu, Vila Real e Setúbal são algumas das cidades onde os serviços podem ser adquiridos.

Pão sem glúten proibido no Vaticano 


Carta enviada aos bispos diocesanos a pedido do Papa Francisco explicita a proibição do uso do pão sem glúten na comunhão e que nenhuma outra substância como fruta, mel ou açúcar pode ser introduzida neste momento… 

Qual a vossa opinião?

Fonte: http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2017-07-10-Vaticano-proibe-pao-sem-gluten-na-Sagrada-Comunhao

Padaria da Esquina de Vítor Sobral vem para Portugal


No Brasil, em São Paulo, a Padaria da Esquina tem ganho muitos pontos junto do consumidor brasileiro. Vários prémios, entrevistas, lojas sempre cheias, a Padaria da Esquina é sinónimo de qualidade superior.

Depois de criar e fazer crescer uma marca à volta do pão no Brasil, Vítor Sobral reúne forças para replicar o projeto em Lisboa, nomeadamente m Campo de Ourique.

 

Recentemente o chefe divulgou na sua página de Facebook a abertura da Padaria da Esquina em Portugal, podendo ler-se “Brevemente em Portugal, numa Esquina algures em Campo de Ourique”, desconhecendo-se, ainda, algumas das novidades que certamente o renomado chefe irá preparar para o público português.

Novidade bem quentinha é a parceria com o mestre do pão Mário Rolando. Aguardaremos por mais novidades fresquinhas.

 

Fonte: http://www.evasoes.pt/comer/vem-ai-a-padaria-da-esquina-com-pao-do-mario-rolando/

De onde surgiu a pizza?


pizzaA pizza, mundialmente conhecida e apreciada por muitas culturas nas suas diversas variantes, é um produto que tem tanto de simples como fantástico. Uma massa de pão coberta com ingredientes num formato pensado para a partilha.

Redonda, “cimentada” com um bom molho de tomate e coberta de queijo, acredita-se que a pizza surgiu no sul de Itália, em Nápoles por volta do século XVIII.
Porém já existia uma versão apelidada de pão de Abrahão”, consumida por hebreus e egípcios há 6000 anos atrás, uma massa muito parecida com os pães árabes atuais que recebia o nome de “píscea”. Três séculos antes de Cristo, os fenícios acrescentaram uma cobertura de carne e cebola. Ideia que foi trabalhada pelos turcos durante as cruzadas no século XI que posteriormente chegou ao porto de Nápoles.

Aqui, os napolitanos aperfeiçoaram a receita introduzindo novos ingredientes. Inicialmente apenas as ervas regionais e o azeite de oliva, alimentos comuns no quotidiano na região. Com o passar dos tempos utilizaram trigo de melhor qualidade e acrescentaram novas coberturas, como o queijo. No século XVI foi incorporado, o tomate, vindo da América levado à Europa pelos espanhóis.

Nesta época, a pizza ainda não tinha a sua forma redonda tal como a conhecemos hoje. Era dobrada ao meio, similar a uma sanduíche ou a um calzone.

A pizza era um alimento de pessoas humildes do sul da Itália, servida com ingredientes baratos. Normalmente, a massa de pão recebia, como sua cobertura, toucinho, peixes fritos e queijo.

A fama da pizza correu o mundo e fez surgir a primeira pizzaria de que se tem notícia, a Port’Alba.

Fontes: Wikipedia  e Mundoestranho.abril.com.br

O que é o fermento?


Muitos de nós já ouvimos falar “n vezes” de fermento. Mas será que saberemos realmente o que é? Quais os tipos de fermento existem?

Todos sabemos que o fermento é um produto muito utilizado na culinária, principalmente no fabrico de massas para pão e pastelaria. Mas o que é?

O fermento não é nada mais nada menos do que uma substância, orgânica ou inorgânica, que tem a propriedade de determinar a fermentação noutra substância, ou seja, faz crescer! É composto por fungos microscópicos (leveduras, Saccharomyces cerevisiae) que se alimentam de açúcar, libertando gás carbónico e álcool.
Quando a massa está em processo de cozedora no forno, as leveduras multiplicam-se, ingerindo o açúcar e o amido contido na farinha.

Existem 2 tipos de fermento:

  • biológico, composto por micro-organismos vivos, fungos, apelidado de leveduras
  • químico, constituído de bicarbonato de sódio e ácidos orgânicos. Quando estão em contato com a humidade, reagem à temperatura de 50ºC a 60ºC.

 

A principal diferença entre o fermento químico e biológico reside na sua composição.

No fermento químico, as reações de decomposição ocorrem quando o bicarbonato gera gás carbónico e água, fazendo com que a massa aumente de volume.

Esta reação é auxiliada pelo aumento de temperatura e só acaba depois de todo o fermento reagir.

Já o fermento biológico, para reagir necessita de glicose, que alimenta a levedura: o fungo ingere a glicose e o seu metabolismo transforma-a em gás carbónico e álcool, que expande com o calor.

Os fermentos químicos destinam-se a ser utilizados no preparo de pães especiais, broas, biscoitos, bolachas e outros produtos de padaria e confeitaria e são responsáveis pelo crescimento das massas. Este ocorre por uma reação química que acontece durante a cozedura.

Os fermentos biológicos são mais direcionados para o fabrico de massas de pães e pizzas.

unnamed

 

 

 

Receita de Bolo de Arroz


Recheio do Bolo de arroz DSC_0218

Açúcar 6Kg
Margarina 3Kg
Sal 100g
Ovos 60 un
Farinha 7,5 Kg
Água 2l
Fermento em pó 250g
Leite 1l
Farinha de arroz 1Kg

Coloque o açúcar, a margarina e o sal na batedeira planetária e misture na velocidade 3. Vá acrescentando os ovos pouco a pouco e aumente a velocidade durante 7 a 10 minutos, ficando com uma massa cremosa.

Diminua ligeiramente a velocidade e acrescente o leite e a água e continue a misturar. Junte as farinhas e o fermento e deixe bater apenas durante 5 minutos numa velocidade de 10 a 12.

Deixe repousar durante 1 hora. De seguida, misture manualmente a massa e coloque nas formas do bolo de arroz.

Leve ao forno elétrico a uma temperatura de 200 a 210 ºC durante cerca de 20 minutos.