O pão na rádio portuguesa


É do pão de quem se fala.

No setor, vivem-se tempos muito dinâmicos… abordagens mais competitivas (alicerçadas no preço e acessibilidade) ou mais diferenciadoras, novos conceitos florescem, uns mais virados para o turismo gastronómico e outros para o serviço onde a distribuição é trabalhada doutra forma.

De facto, o pão é um setor de bastante interesse, importância económica e, também, fundamental nas sociedades.

E, também por isto, o padeiro é uma peça fundamental na padaria.

Por muita inovação e por muitos facilitismos que existam, o padeiro continua a ser o principal ativo, que nunca deve ser esquecido e sobrevalorizado, nem por investidores e, muito menos, pelos consumidores. O consumidor é rei.

O programa Prova Oral da rádio portuguesa Antena 3, convidou Mário Rolando e debruçou-se sobre este tema.

Aqui está o link para quem queira ouvir.

Anúncios

As caralhotas (pão) de Almeirim



Nem todos conhecem a palavra caralhotas ou o que o significa exatamente. Um nome bastante curioso e caricato que faz lembrar tudo menos o que é.

Mas aqueles que já ouviram falar certamente não se esquecem. As caralhotas são o pão tradicional de Almeirim que acompanha a sua famosa sopa da pedra.

Um pão muito saboroso, de miolo suave que gentilmente se desfaz ao colocar na boca e com uma textura de forno de lenha que não engana. Um pão que identifica Almeirim e que também a promove numa relação recíproca.

Estivemos a ler um artigo muito interessante que explica as caralhotas no seu todo…

O nome caralhotas nasce por causa dos pequenos pedaços de massa que ficavam nos alguidares da massa, parecidos com os borbotos das camisolas.

Este artigo fala de Emília Caldeira, uma padeira artista de Almeirim que “trata as caralhotas por tu” e atrai os curiosos e turistas que procuram saber o que são ou deixam-se contagiar pelo cheirinho a pão quente que se faz sentir na rua Moçambique.

 “É uma arte que já vem dos avós e bisavós de Almeirim. A caralhota é feita com farinha, água, sal e fermento. Mas o segredo está na forma como se bate a massa. Tem de ser num alguidar de barro, sempre a bater até pingar o suor. Até a massa fazer bolhas”, diz Emília Caldeira, pode ler-se no artigo.

Leia o artigo aqui.

Pão de insetos… Já provou?


Foi na Finlândia que surgiu o primeiro pão feito à base de farinha de insetos, lançado pela empresa finlandesa “Fazer Bakeries” há cerca de um mês atrás.

Mais rica em proteínas do que qualquer pão de trigo normal, a receita deste pão é composta por farinha de grilos secos, farinha de trigo e sementes. Para cada pão de tamanho médio, são necessários 70 grilos 

Este não é o primeiro produto feito à base de insetos na Europa. Anteriormente surgiram os hambúrgueres e almôndegas.

Numa época em que as sociedades acreditam, cada vez mais, na futura escassez de recursos, nomeadamente na alimentação, acreditamos que este será um produto com futuro no mercado. 

Os consumidores que já tiveram a oportunidade de provar este pão dizem que não notam grandes diferenças com os pães mais tradicionais como os de trigo. E você, teria curiosidade e coragem para provar?

Receita Pão de Água


INGREDIENTES

Farinha de Trigo 10Kg
Água 9l
Fermento 200g
Sal 200g
Melhorante 100g

Coloque a farinha, o sal, o melhorante e a água (5,7l, cerca de 60% do total de água) dentro da tina da Amassadeira Espiral e amasse em 1ª velocidade durante 2 a 3 minutos.

Logo que o preparado de massa ganhe consistência (liga), aumente a rapidez de amassadura para a 2ª velocidade e durante o processo de amassadura, acrescente, pouco a pouco, a restante quantidade de água (o fermento poderá vir diluído na água).

O tempo de amassadura em 2ª velocidade deverá ser de 15 minutos, totalizando cerca de 18 minutos de amassadura.

De seguida, retire o preparado para o Estancador e deixe levedar durante 60 minutos.

Depois de levedada, leve a massa em empelos de 1,8Kg para a Divisora Manual, destranque a prensa e corte em 30 porções (60g).

Por último, leve ao forno elétrico a uma temperatura de 220º C durante cerca de 13 minutos.

 

Pão sem glúten proibido no Vaticano 


Carta enviada aos bispos diocesanos a pedido do Papa Francisco explicita a proibição do uso do pão sem glúten na comunhão e que nenhuma outra substância como fruta, mel ou açúcar pode ser introduzida neste momento… 

Qual a vossa opinião?

Fonte: http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2017-07-10-Vaticano-proibe-pao-sem-gluten-na-Sagrada-Comunhao