Receita de Bolo-Rei


receita-de-bolo-rei

Massa mãe
Farinha de trigo 1Kg
Água 500ml
Fermento (padeiro) 500g
Farinha de trigo 5Kg
Água 1,5l
Açúcar 750g
Margarina 750g
Melhorante 50g
Sal 100g
Ovos 30un
Frutas cristalizadas 3,5Kg
Amêndoa 500g
Sultanas 1,5Kg
Noz 1Kg
Vinho do porto 100ml
Bagaço 100ml
Rum 100ml
Fermento 100g

 

MASSA MÃE

Para preparar o fermento “à parte”, adicione a farinha, fermento de padeiro e a água na tina da amassadeira espiral e deixe amassar durante 5 minutos em 1ªvelocidade

BOLO-REI

Adicione a farinha, a água, o açúcar, a margarina, o melhorante, o sal e os ovos dentro da tina da amassadeira espiral e deixe amassar durante 10 minutos em 1ª velocidade e 10 minutos em 2ªvelocidade. Ao passar para a 2ª velocidade, adicione o vinho do porto, o bagaço e o rum.

Adicione o fermento (massa mãe) aos 15 minutos totais de amassadura (5 minutos da 2ª velocidade).

Deixe repousar a massa dentro da tina durante 15 minutos. Junte a amêndoa, as sultanas e as frutas e amasse durante 2 a 3 minutos em 1ª velocidade para misturar os ingredientes à massa. Deixe repousar novamente durante 60 minutos.
Pese a massa dividindo-a em empelos de 800 gramas e dê a forma de bolo-rei na massa (buraco ao centro). Coloque em tabuleiros e deixe repousar novamente durante 30 minutos.
Pincele com ovos batidos e adicione as frutas para decoração. Por último, leve a cozer durante cerca de 35 minutos a 230º no forno elétrico.

Anúncios

Bolo-rei, que tipos existem?


A época natalícia está a chegar e com ela muitas iguarias da pastelaria. Rabanadas, pão de jamón, panetone e, como não podia deixar de ser, o rei da festa, o bolo-rei.

A indústria da panificação tem crescido e várias tipologias de bolo-rei tem sido criadas para responder às exigências dos consumidores e, também, para lhes fazer crescer água na boca.

De facto, a família do bolo-rei tem crescido…

  • Bolo-rei, este ainda é o rei durante o Natal nas pastelarias. De massa doce, passas, frutos secos, vinho do porto e frutas  cristalizadas, o bolo-rei soma e segue.
  • Bolo-rainha, mais rico, é fabricado para aqueles que preferem deixar as frutas cristalizadas de lado. É sempre uma escolha requintada.
  • Bolo-rei tipo escangalhado, feito de massa de brioche recheada de apenas com frutos secos e chula que se diferencia pelo seu formato
  • Bolo-rei de chocolate, uma variante que é o resultado da força que este ingrediente tem na indústria e nos próprios consumidores.
  • … e quiçá outras tipologias desconhecidas por nós.

E vocês, qual preferem?

Confeitaria Nacional destacada pela CNN


Fundada em 1829 por  Baltazar Róis Castanheiro, a Confeitaria Nacional é, nos dias de hoje, reconhecida como uma das mais conceituadas casas de Lisboa. Ao longo de mais de 150 anos e 5 gerações diferentes, continuam a ser os herdeiros do fundador os responsáveis por uma casa que já recebeu inúmeros prémios nacionais e internacionais pela excelência da sua doçaria e bolos.

A CNN, conceituado canal de notícias Americano, elaborou uma lista com oito pastelarias europeias e uma americana (mas que segue o estilo europeu), que se destacam pelas suas criações e pelo seu  ambiente monumental.

confeitaria-nacional4

“Quase com dois séculos, a pastelaria lisboeta foi escolhida para uma selecção das melhores e mais antigas casas de doces da Europa.

Na sua secção de viagens, a CNN deu a conhecer oito pastelarias europeias (a que junta uma de espírito europeu na Argentina) que, ao longo dos tempos, acolheram visitantes que provaram (e aprovaram) as suas doces obras em ambientes monumentais. Lisboa consta na lista com a unicidade (e antiguidade) da Confeitaria Nacional.

A pastelaria lisboeta, situada na Baixa, à Praça da Figueira, abriu as suas portas em 1829. No artigo da CNN sublinha-se o charme da sua arquitectura singular: torna-se discutível saber “o que é mais ornamentado, se o exterior da loja ou a pastelaria no seu interior”, refere a autora, Danielle Beurteaux,

Quanto aos doces, foi no final do século XVIII que Baltazar Rodrigues Castanheiro Filho trouxe do sul de França para a Confeitaria Nacional aquele que viria a ser o bolo de Natal tipicamente português: o bolo-rei, onde não faltam as passas, as frutas cristalizadas e as nozes.

Para além da direcção da Confeitaria se manter na descendência da família fundadora, o seu bolo-rei tornou-se numa das especialidades da casa. No entanto, vale também “a pena experimentar um dos seus populares pastéis de nata”, escreve a colaboradora da CNN.

Na lista, juntam-se à confeitaria lisboeta mais oito pastelarias que se distinguem tanto pela sua arquitectura como pelos doces de fazer crescer água na boca. Entre as enunciadas estão a Hofbackerei Edegger-Tax (Graz, Aústria), La Maison Stohrer (Paris, França), Pietro Romanengo fu Stefano (Génova, Itália), Ruszwurm Cukraszda (Budapeste, Hungria), Antigua Pasteleria del Pozo (Madrid, Espanha), Blikle (Varsóvia, Polónia) e a Maison Bertaux (Londres, Reino Unido).

A lista da norte-americana CNN também inclui uma morada mais perto de “casa”: o célebre Café Tortoni em Buenos Aires, Argentina, onde não falta o sabor e ambiente da “velha Europa”.”

Fonte

Fonte da imagem

A notícia original pode ser consultada aqui.